01 fevereiro 2016

Como é morar num hostel

Quando se pensa em morar no exterior a acomodação é um dos principais pontos, afinal você terá que escolher aonde será o seu novo porto seguro. Não se trata apenas aonde vai morar, mas com quem morar. Aqui na Austrália quando estava pesquisando sobre isso encontrei várias opções entre homestay (casa de familia), share accommodation (quarto compartilhado) e até dormitório em universidade. Optei pelo quarto compartilhado. Um dia lendo um  jornal local  vi um anúncio de trabalho num hostel em troca de moradia. Na mesma hora pensei que deve ser legal essa experiência. Mas quem iria fazer isso?

Por coincidência (ou não), dias depois, uma amiga me conta que largou o conforto do quarto "single room" para viver entre gente de todo canto. Isso mesmo a brasileira Igara Almeida teve essa experiencia de viver em um hostel. Além dela melhorar o inglês, fazer muitas amizades, ela  economizou uma grana. E compartilha como foi a experiência.


Como ficou sabendo da vaga?

Uma vez uma amiga germana me contou que trabalhava num hostel por 12 horas em troca
de estadia. Quando terminei o namoro, depois de nove meses na Austrália, percebi que meu inglês era muito fraco, estava rodeada de amigos brasileiros e não tinha noção sobre  outras culturas. Foi quando acordei um dia com vontade de ter uma experiência nova, ter amigos de outros países, focar no inglês e entender como é a “hostel life”. Fiz meu currículo fui até  a manager e consegui o emprego.



Qual a vantagem de morar num hostel?

A vantagem é que economizei  dois mil dólares em  dois meses morando lá. Morei com 110 pessoas que tinha um rotina de família, a maioria ficou durante  quatro meses hospedados. Cafe da manhã juntos, almoço juntos nos finais de semana e o jantar era sempre com a mesa cheia de amigos. Cada um contava sua experiência de vida, um pouco sobre seu país de origem, sobre as próximas trips e melhor de tudo em inglês. No final compartilhávamos nosso alimento, nossa bebida, danças e muito amor. E realmente tínhamos uma rotina de família. Hoje tenho amigo até no Egito. Todas as noites tinha festa no rooftop, não tinha hora para terminar e quem fosse recém chegado facilmente conseguia se socializar e entrar no ciclo da família. 

Qual a desvantagem?

A desvantagem é que se você não abrir sua mente e tiver algum preconceito não sobrevive um dia. Você vai dar adeus a sua privacidade. Outro fator é lidar com a despedida. Quando algum dos amigos seguem a viagem é sempre doloroso.

Quanto tempo você passou no hostel? E o que aprendeu?

Aprendi que brasileiro é o povo mais santo e tranquilo de todos. Nossa imagem fora do Brasil é fake. E tudo é muito intenso no período que fiquei no hostel, nesses três meses. Aprendi muito sobre a realidade de muitos países, de como somos diferentes e como podemos melhorar juntando todas informações e usando para o bem. Hoje me sinto menos preconceituosa (eu achava que não era), mais leve e com inglês melhor que antes. Acho que quando você sai da sua zona de conforto você tem que se permitir e fazer alguma aventura como a que tive para não ficar vivendo a rotina do seu país de origem e fazer sentido estar distante dos seus familiares e amigos que tanto ama.Depois de dois meses morando no hostel fui para o Brasil de férias e quando voltei muita coisa tinha mudado. Vários amigos continuaram sua trip  e os novos hóspedes ficavam por poucos dias. Não tinha mais a mesma energia de família. Fiquei mais um mês. Por causa dos compromissos  e estudos decidi mudar para um lugar onde tivesse mais privacidade e seguir com meu foco. Hoje tenho boas recordações.







Dicas para escolher um hostel para morar

Igara morou e adorou a experiencia. Assim que conseguiu seu objetivo mudou-se novamente e hoje mora no estilo accommodation share. Porem, ficou em seu caminho a certeza que a vida é feita de encontros e essa troca de aprendizado.  


E se você  assim como Igara gostaria de uma experiência como essa saiba que escolher um hostel para morar por meses não é o mesmo que escolher um lugar para se hospedar em uma viagem curta. Geralmente, morar em um hostel pode sair mais caro que um acommodation share, porém eles podem te dar a opção de trabalhar para garantir sua estadia.




Caso se interesse o site Worldpackers reúne oportunidades para quem deseja fazer a troca trabalho por moradia. Ou você pode procurar no jornal da cidade. Nem sempre é fácil encontrar uma propriedade com esse perfil mais familiar, vai depender muito do lugar aonde você vai, mas tente, no mínimo, escolher um hostel em que não tenha festa todos os dias ou que limite o horário da bagunça. A não ser que você curta uma vibe party todos os dias.


Bem, morar em um hostel não deve ser um mar de rosas e depende de cada um. Da mesma forma, que a Igara teve uma ótima experiência tenho amigas que moraram e detestaram. O segredo é experimentar o que pode ser legal para você e se for seu caso, se joga.
0

Nenhum comentário:

Postar um comentário