15 outubro 2016

Conhecendo a capital cultural da Austrália: Melbourne



Não será muito difícil você chegar em Melbourne e logo confirmar que está diante da capital mais cultural da Austrália. A cidade que respira artes, festivais de dança, cinema e teatro é pura vibração e todo mundo que visita aproveita cada pedacinho que ela pode oferecer. Considerada em 2015 pela revista The Economist como a melhor cidade para se morar no mundo ficando à frente de New York, Paris e até Londres é um convite para quem busca se divertir e conhecer locais paradisíacos. A cidade que já foi capital da Austrália é uma boa pedida para quem gosta de agito, fervo cultural, gastronomia variada e até fazer compras. 

Cosmopolitan, efervescente e agitada Melbourne me fascinou pela sua loucura, seus pubs charmosos e como sou fã da noite, ela oferece vários lugares descolados e gente do mundo inteiro. A todo instante era movimentada, viva e colorida. Os cafés, restaurantes, parques e ruas davam aquela sensação gostosa de que Melbourne não para. 

 Aproveitei quatro dias na cidade e sai de lá encantada, porém ver alguns homeless pelas ruas pedindo esmola na city me deixou bem assustada. Conversei com uma amiga que mora em Melbourne, ela me explicou que a maioria desse pessoal tem problemas mentais e usam drogas, contudo eles recebem todo auxílio do governo. Embora  tenha ficado chocado com a cena, a capital vitoriana, não perde seu glamour. 

Aonde ficar

A cidade é recheada de bons hotéis, hostels e apartamentosFiquei hospedada no Ibis Hotel, no coração da city, perto da Central Station Melbourne. Tinha supermercado perto, restaurantes e a facilidade de se locomover, inclusive a pé pelos principais pontos turísticos. O preço estava bem acessível em torno de 75 dólares a diária. No Groupon você encontra uma lista de hotéis com promoções e não é uma furada.

Agora, se a pegada da viagem for outra como fazer amizades ou economizar dinheiro com hospedagem os hostels são sempre uma boa opção. Minhas amigas que foram indicaram o Flinders Backpacker, a diária custa $28 dólares, e fica na Flinders Street. Pertinho da Federation Square. Mas se interessa o site Booking não deixa a desejar em suas opções e quebra meu galho nas minhas viagens, me dá ótimas sugestões, dá pra ver os comentários do pessoal, localização e o que está incluso no hostel. 

Passeios

O primeiro dia conhecemos a Brighton Beach com suas charmosas 80 casas tombadas como patrimônio público. É um passeio rápido de no máximo 2 horas. No mesmo dia conhecemos o bairro de Saint Kilda, na costa litorânea da cidade. Me lembrou um pouco Surfers Paradise em Gold Coast e minha adorável Manly, em Sydney.

O clima astral desse bairro  repleto de bons restaurantes, de gente linda e feliz é ideal para um "sunset", beber uma legítima cerveja local, se deliciar com um bom jantar e comer uma sobremesa bem gostosa nas famosas padarias do bairro. Em St Kilda tem tudo que você precisa, uma “good vibe”, e bem sofisticada no final da noite. 

No segundo dia, aproveitamos que o sol resolveu aparecer para conhecer a Great Ocean Road com direito a conhecer Bells Beach, 12 apóstolos e Lorch Ard (a minha favorita). Prepare-se para conhecer um dos postais mais lindos da Austrália. Não deixe de fazer o passeio é o momento mais inesquecível.

Optamos em ir com o simpático guia Rafael (esqueci o sobrenome dele, mas você encontra nos Brasileiros em Melbourne). O passeio é o dia todo saindo 7h da manhã e retorna umas 7h da noite. São de 2,5 a 3 horas de viagem. O caminho pela costa é indescritível. O passeio custou $80 dólares. Pela agência de passeios saia por $129. Claro que tem outra opção mais barata que é alugar carro, bem acessível, dá para colocar o gps e pé na estrada.



.
No terceiro dia fizemos um passeio que não estava no roteiro e fomos conhecer o píer Docklands, lá tem o famoso MelbourneStar, aquela roda gigante que dá pra ver a cidade toda. Só uma curiosidade: essa roda gigante tem em mais dois países, em Londres e Singapura (minha próxima viagem). O passeio custou $ 28 dólares. Ainda em Docklands tem parquinhos e lojinhas para aproveitar no local.

Melbourne tem muitos lugares legais para conhecer, ir com tempo é essencial para que possa aproveitar o que a cidade tem a oferecer. Não poderíamos deixar de conhecer a Federation Square que tem exposição de artistas, dicas para quem quer explorar e fica pertinho das famosas paredes grafitadas na Hosier Lane Street Art. Nesse mesmo dia, aproveitamos para conhecer as igrejas e andar pelos prédios históricos.

“The best place”

A graça da viagem foi descobrir lugares novos junto com duas amiga. Foi então, que uma delas compartilhou o seu segredo: usar o Tripadvisor. Basta colocar a opção “the best place” tanto para café, dinner, sobremesa, almoço, pub e tudo que você imaginar. Como tive meu iphone furtado uma semana antes da viagem, acabei não planejando tanto e foi esse "the best place" que nos sugeriu vários locais que conhecemos em Melbourne.

Encontrei nessa dica uma preciosidade para minhas próximas viagens. Por que foi graças a isso que comi meu melhor breakfast na Austrália. Digo e repito no país. Um manjar típico de restaurante francês. O nome do lugar Hardware Society, na Hardware Lane. Graças ao tripadvisor conhecemos o Rooftoop Cinema Bar entre outros.

Arrisque o the best place tenho certeza que vai dar certo para você. E aliás descubra você mesmo qual o seu best place. E se divirta numa das cidades mais fascinantes da Austrália.


2 comentários:

  1. Respostas
    1. Austrália e suas fascinantes cidades. Obrigada por apoiar as minhas decisões. Te amo!

      Excluir