11 fevereiro 2017

Minha viagem para Tailândia: parte 1

Era agosto de 2016, quando meu amigo que mora no Brasil, me chamou para realizar seu sonho de conhecer a Tailândia. Como moro em Sydney, mais perto da Ásia que o Brasil, nem pensei  e já dei um sim como resposta. 

Ora se eu ia perder essa! Quanto mais pertinho ia chegando a viagem, mais amigos iam embarcando nessa com a gente. Ao todo, éramos seis  realizando esse sonho de conhecer esse país bem exótico. A primeira parte da viagem concentramos em conhecer a capital da Tailandia, a caótica e 'surpreendente' Bangkok, depois seguimos por Chiang Mai.

O que fazer em Bangkok

Confesso que fiquei bem surpresa com Bangkok. No meio de pobreza, da confusão e desorganização, encontrei modernidade e riqueza. Achei tão interessante, mística e 'baladeira' que afirmo em bom tom que não deixe de conhecer a capital da Tailândia se você está indo para esse país.

O que mais gostei, sem dúvidas foram os templos. A arquitetura, a história e a filosofia por trás de cada templo me encantou assim que pisei meus pés lá. Mesmo que você seja de outra religião, vale a pena dar uma conferida. Meus preferidos foram o Grand Temple e o The Temple Reclined Budhha. Em média os dois juntos deu uns 600 bath (que convertendo em dólar australiano uns 24 dólares, e 57 reais). Eles são os preferidos dos turistas, por isso está sempre bem lotado. Mas na minha opinião, são os mais bonitos e famosos de Bangkok.







Por do sol e bons drinks no rooftoop

Eu coleciono pôr do sol. E um passeio que não abrimos mão foi apreciá-lo no rio na Rattakosin Island, no pier que banha o rio Chao Prhaya River, a vista é lindíssima, um dos sunset mais especial da minha vida, tanto que aproveitei até para fazer minha prece. Aproveitando a vista da cidade, tem o rooftoop Sky blue em que são mais de 60 andares. Por engano, fomos a outro. Mas a vista é tão linda que vale a pena.

 Khao San Road 

Ficamos hospedados na Khao San Road. É onde ferve a noite. Ela tem uma energia bacana é totalmente preparada para turista. Lá você vê gente comendo os benditos escorpiões, inclusive se não quiser comer pode bater foto e é apenas  $10 bath (0,40 cents australianos e 1 real)  só pra você tirar foto deles. Mas o melhor também: os carrinhos de comida (street food), barzinhos e uma alegria de turista e galera que é boa de se ver. Todas as nossas noites ficamos nessa rua movimentada e alegre. A melhor opção que encontramos para nos divertir a noite. É cheia de barzinhos, músicos na rua, karaokê, estúdios de tatuagem. E ótimo legal para comprar as lembrancinhas.




Chiang Mai and Chiang Rai


Ficamos três dias em Bangkok e dois dias em Chiang Mai. A última cidade foi marcada por passeios turísticos, mais templos e muito karaokê. Chiang Mai, é a segunda maior cidade da Tailândia, conhecida por seus templos. Indico para conhercer, mas é bem mais calma e ótimo lugar para descansar. Ela é considerada a capital espiritual da Tailândia. Chiang Mai fica no norte da Tailândia. E você aproveita para conhecer Chang Rai.

Alugamos a motinha (sai bem barata como 200 bath por um dia, equivalente a $ 20 reais). E fomos nos aventurar pela cidade. Se você curte aventura dá para ir por Grand Canyon, pode fazer muitas coisas por lá. Mas não deixe der se aventurar pelas cachoeiras.

Em Chang Mai, você pode rapidinho dar um pulo em Chang Rai (passeio custa uns 152 reais), que dá para passear de elefante, ir na tribo das Mulheres Girafa (aquelas que usam anéis em volta do pescoço) e conhecer o templo mais lindo (em minha opinião da Tailândia, o White Temple). Obeservação: desnecessário o passeio com os elefantes, eles são aprisionados.E mal tratados, mas tem outro que você pode cuidar deles e dar muito amor. Deixei passar esse por não conhecimento. E para este momentos minhas dicas ficam por aqui: não deixe de passear de tuk-tuk, nem de cantar em karaokê e ir fazer várias compras nos mercados. A Tailândia é show. E minha próxima parada é onde mais gosto de estar: nas praias. 








Um comentário: